Por Andore:

 

Game: Art of Fighting 2 - ©SNK 1994

Tamanho: 190 Mb
 

 

 

Introdução:


Art of Fighting inaugurou vários novos elementos até então não existentes nos jogos de luta. Este foi o primeiro jogo a trazer Dms. No Japão um prêmio estava a espera dos jogadores que descobrissem o comando para o golpe mortal de Ryo e Robert. Este foi o primeiro jogo a trazer a barra de Chi (presente nos primeiros jogos da série KOF).  Art of Fighting foi o primeiro jogo de luta a fazer uso da técnica de zoom. Na primeira edição da série haviam apenas 2 personagens jogáveis (no modo versus era possível escolher 8). Nessa segunda versão é possível escolher entre doze personagens.

 

Doze personagens a sua disposição




Elenco:

Ryo Sakazaki - Um dos principais personagens da série, um clone de Ryu (SF 2).
Robert Garcia - Amigo de Ryo, o outro "herói" da série.
Takuma - Pai de Ryo e Yuri. Mestre no caratê Kiokugen. No primeiro jogo da série era Mr. Karate, o chefe  final do jogo.
Yuri
- Filha de Takuma, irmã de Ryo e namorada de Robert.
Eiji - Um enigmático ninja. Já teve uma aparição em um jogo da série KOF.
Lee - Lutador de Kung fu de avançada idade,  veste uma máscara e faz uso de garras estilo Vega.
King - Personagem bastante conhecida dos jogadores de KOF, faz uso de técnicas de Kickboxing.
Jack Turner- Membro de uma gang de rua. É um gordão lento mas bastante forte
Micky Rogers - Não costuma faltar um boxeador em jogos de luta.
John Crawley - Tal como Guile é um militar. Seu looking no entanto lembra bastante um outro personagem da Capcom: Wesker (Resident Evil).
Temjim - Outro gordão,  natural da Mongólia e com um estilo de luta baseado em agarrões.
Mr. Big - O vilão maior da série,  já teve oportunidade em um jogo da série KOF.
Geese Howard - O mauzão de Fatal Fury é um chefe secreto neste jogo.




Gráficos:

Bons cenários e personagens altamente detalhados. O aspecto mais impressionante do jogo é o tamanho dos personagens e os efeitos de dano. Veja na foto a seguir o sangue estampado na cara de Micky. Quando o golpe que nocauteia é um especial qualquer as roupas se rasgam, máscaras e óculos caem,  quem não se lembra da clássica cena do sutiã de King a mostra no primeiro joga da série? A única reclamação sobre os gráficos do jogo vai para a animação dos golpes que usa pouquíssimos frames de animação, sobretudo nos golpes fracos.

 

 

Olhos roxos, sangue e roupas rasgadas são alguns dos detalhes que tornaram esse um dos melhores jogos da história da SNK


 


Som:

É difícil que um jogo da SNK tenha no som o seu lado negativo. AOF 2, no entanto, está acima da média. Com ótima atuação de voz e músicas de primeira linha, pode-se dizer que este jogo é uma obra-prima no campo sonoro. Eu destacaria as músicas de Yuri (que recebeu um remix em KOF 2002) e a de Mick como as melhores do jogo.

 

Assim como no primeiro jogo da série o bonus game está presente. Nesse da foto você aumenta sua barra de Chi. Em um outro você aumenta sua barra de energia, por fim o terceiro bonus game consiste em dominar uma técnica especial, se bem sucedido você poderá fazer uso dela durante o jogo.




Jogabilidade:

Dezenas de vezes superior ao primeiro jogo da série e muito melhor que a do terceiro. o botão A desfere socos, o B desfere chutes. A depender da intensidade da pressão eles saem forte ou fracos. O botão C serve para o arremesso. Combinando C com A ou B é possível desferir ataques diferentes. Por fim o botão D serve para provocar, o que diminui a barra de Chi. A barra de Chi diminui com a execução de golpes especiais e com a provocação. O jogo é bastante equilibrado, mas em matéria de versus personagens como Takuma, Mr. Big e Mick estão acima dos demais. Este jogo permite a queda segura, bastando apertar um botão qualquer no momento em que tocar o solo após um arremesso.

A reclamação única vai quanto a dificuldade, ou melhor, facilidade do jogo. Fazendo uso de uma técnica barata (arremesso seguido de fireball) é possível terminar o jogo com um pé nas costas.




Segredos e curiosidades:

Caso você termine o jogo sem perder nenhum round poderá lutar contra um remoçado Geese Howard (a explicação é a de que o jogo se passa anos antes da série Fatal Fury).
Quando uma vitória é obtida mediante perfect o vencedor faz uma comemoração diferente.
No final do jogo, durante os créditos é possível ver cenas de humor entre os personagens.

O jogo se passa anos antes da série Fatal Fury, note que Geese Howard está bem mais novo neste jogo.




Conclusão:

Um jogo soberbo, o melhor da série e um dos melhores da SNK. O terceiro jogo da saga abandonou os conceitos, não atendeu as expectativas e provavelmente sepultou essa ótima série, o que é uma pena.

 

Outras inovações legais: quando um personagem vence de perfect ele faz uma comemoração diferente, na maioria das vezes muito mais legais que as comuns (à esquerda). No final do jogo a exemplo de Fatal Fury Special estão presentes cenas animadas engraçadas (à direita).

 

 

Outras versões:

A exemplo da primeira versão do jogo o Snes recebeu uma conversão, tenebrosa diga-se de passagem. A jogabilidade foi totalmente modificada, os gráficos e sons foram destroçados e como de costume a censura foi implementada mesmo na versão japonesa (aliás a única disponível).

 

Gráficos: 8

Sons: 8,5

Jogabilidade: 9

Diversão: 10

NOTA FINAL: 8,87